ESAIC

Grândola

 

Desenho Técnico de Mecânica

 

 

 

 

 

 


Introdução

O Desenho Técnico é uma linguagem universal de representação e comunicação.

Permite a interpretação e compreensão harmoniosa de uma multiplicidade de realidades, bem como a transmissão fácil dessas e de eventuais outras mensagens que encerre.

O Desenho Técnico é uma disciplina cujos conteúdos programáticos representam um conjunto que se pretende harmonioso. 

Os conteúdos desta disciplina são desenvolvidos através do conhecimento das bases teóricas e da aplicação prática, necessárias à perfeita e atempada interpretação de qualquer desenho técnico, em geral, e de desenhos técnicos de mecânica, em particular.

Para que projectista, desenhador e fabricante utilizem a mesma linguagem de comunicação existem regras que devem ser cumpridas.

Estas regras são definidas através de Normas Portuguesas que devem estar de acordo com as recomendações da ISO (International Organization for Standardization).

O Desenho Técnico, associado à Normalização, funciona como um eficaz veículo de comunicação de ideias e de ordenações técnicas e operacionais.

No Desenho Técnico de Mecânica é de fundamental importância o conhecimento das regras respeitantes à representação; 
- da cotagem, nominal e funcional 
- dos vários tipos de cortes e secções e da escolha mais adequada a uma perfeita representação da peça, 
- de vistas auxiliares e representações especiais,
- da representação do estado de acabamento das superfícies, 
- do toleranciamento dimensional e geométrico dos elementos constituintes dos conjuntos mecânicos. 

Para uma boa leitura e interpretação dum desenho técnico devem estar correctamente definidas as dimensões e a forma dos objectos. 

Há peças que, pela sua complexidade, obrigam a recorrer a processos auxiliares de representação.

As normas NP-297 e ISO 129 fixam a terminologia e as regras usadas na cotagem dos desenhos. A cotagem fornece as dimensões dos diferentes elementos de uma peça, define a sua posição relativa e dá outras indicações auxiliares relacionadas com as cotas.

A técnica dos Cortes está regulamentada pelas normas NP-328, NP-167 e ISO 128. Quando numa peça existem concavidades, mais ou menos complexas, surgem nas vistas linhas a traço interrompido que dificultam a interpretação do desenho. Um dos objectivos dos cortes é tornar visíveis essas zonas facilitando a interpretação da forma das peças.

Designa-se por secção a superfície resultante da intersecção de uma peça por um plano secante. A secção difere do corte porque neste se faz a representação da parte da peça à qual é suprimida a porção situada entre o plano de corte e o observador, enquanto que na secção apenas se representa a parte comum à peça e ao plano secante.

Por vezes as peças possuem superfícies inclinadas relativamente aos planos de projecção pelo que não se projectam em verdadeira grandeza nesses planos. Nestas situações considera-se um novo plano de projecção, paralelo a essa superfície e perpendicular a um dos planos de projecção isto é, faz-se uma mudança de diedros. Obtém-se, assim, uma vista auxiliar.

Por tudo isto se reconhece a necessidade de saber executar uma correcta representação normalizada das peças, de qualquer conjunto mecânico ou equipamento, para que os elementos fabricados possam verificar as especificações necessárias a um bom desempenho das suas funções.

Voltar ao topo
topo


Tarefas

Com o auxílio da Internet vais utilizar recursos disponíveis na rede para aprendizagem da normalização relativa à cotagem nominal e funcional, à representação do estado das superfícies, de cortes, de secções e de elementos especiais de peças constituintes dos conjuntos mecânicos. 

Também podes complementar a aprendizagem consultando os manuais adoptados para a disciplina de Desenho Técnico.

A tarefa consiste no seguinte:

1- Escolha de um dos seguintes temas:

2- Realização dos testes finais, constantes nas últimas páginas, dos ficheiros consultados.

3- Realização de um trabalho de síntese acerca do tema abordado.

4- Apresentação oral do trabalho realizado aos restantes elementos da turma.

Nota: O trabalho pode apresentar as seguintes formas:

Voltar ao topo
topo


Processo

Para a realização da tarefa é proposta a divisão da turma em grupos de 2 a 3 alunos.

Cada grupo utilizará os recursos definidos, relativos ao tema escolhido, e poderá recolher outra informação. 

Aos elementos do grupo serão atribuídas distintas actividades tais como, pesquisa de informação, selecção e interpretação dos elementos recolhidos, produção de textos, transparências, diapositivos, cartazes, etc...

Cada grupo responderá ao questionário existente no final de cada ficheiro. Todos os membros do grupo devem colaborar na análise da resposta correcta a cada questão.

Deverá ser efectuada a recolha de imagens e/ou fotografias para ilustração do trabalho final.

A informação recolhida será seleccionada, analisada e organizada com vista à produção do trabalho final.

O produto final, original e criativo, será apresentado à turma no final do prazo concedido.

Todas estas actividades serão realizadas num prazo de quinze dias.

Voltar ao topo
topo


Recursos

Para a preparação e elaboração da tua tarefa deves aceder aos seguintes ficheiros, disponíveis na rede, sobre os temas propostos.
Selecciona criteriosamente a informação que necessites e analisa-a de forma crítica.

Temas

Hiperligações

Cortes e Secções Corte Total
Mais de um corte nas vistas ortogonais
Corte composto
Meio Corte
Corte Parcial
Omissão de corte
Secções e vistas interrompidas
Vistas auxiliares e representações especiais Vistas Auxiliares
Projecção com rebatimento
Representações especiais
Cotagem Cotagem de elementos
Supressão de vistas em peças prismáticas e pirâmidais
Supressão de vistas em peças compostas
Cotagens especiais
Sistemas de Cotagem
Tolerância dimensional Tolerância dimensional
Tolerância geométrica Tolerância geométrica
Acabamento superficial (rugosidade) 

Estado de superfície

Rugosidade
Representação de rugosidade
Parâmetros de rugosidade

Podes também recorrer aos manuais escolares, adoptados para a disciplina:

ou a um bom motor de busca, como por exemplo o

Google


Voltar ao topo
topo


Avaliação

O trabalho será avaliado de acordo com a grelha abaixo apresentada e tendo em conta os seguintes parâmetros:

Grelha de Avaliação

 

Parâmetro\Classificação

Insuficiente

Suficiente

Bom

Recolha de Informação               Fraca recolha da informação  sugerida Razoável recolha da informação sugerida Boa recolha da informação sugerida
Organização da Informação Informação pouco      organizada e  incoerente Informação organizada e coerente Informação bem organizada, coerente e bem estruturada
Desempenho do Grupo Má organização e distribuição das tarefas pelos elementos do grupo

Não aceitação de sugestões dos elementos do grupo

Fraco desempenho das tarefas propostas

Não cumprimento do prazo

Razoável organização e distribuição das tarefas pelos elementos do grupo

Aceitação de sugestões dos elementos do grupo

Razoável desempenho das tarefas propostas

Cumprimento do prazo

Boa dinâmica de grupo

Boa aceitação de sugestões dos elementos do grupo

Bom desempenho das tarefas propostas

Conclusão da tarefa antes do prazo definido

Classificação dos Testes

x < 50%

50% < x < 75%

x > 75%

Apresentação do Trabalho Final Falta de criatividade

Pouca originalidade

Insegurança na apresentação dos trabalhos

Alguma criatividade 

Alguma originalidade

Apresentação dos trabalhos de uma forma segura e clara

Apresentação dos trabalhos de uma forma bastante  segura,  bastante clara e com criatividade e originalidade

 

Parâmetro

Classificação
Recolha de Informação  
Organização da Informação  
Desempenho do Grupo  
Classificação dos Testes  
Apresentação do Trabalho Final  

Voltar ao topo
topo


Conclusão

O Desenho Técnico de Mecânica é uma linguagem de comunicação, entre entidades especializadas na área da Mecanotecnia, que exige uma representação gráfica rigorosa e normalizada para uma correcta concepção, produção e modificação de peças e conjuntos mecânicos.

Com as tarefas propostas proporcionou-se ao aluno um desenvolvimento de capacidades inerentes à natureza específica desta linguagem de expressão quase universal.

O aluno teve oportunidade de conhecer, interpretar e aplicar, normas e recomendações técnicas específicas aplicáveis na execução de desenhos técnicos.

Conheceu conceitos, princípios, métodos e procedimentos intrínsecos à representação de cotas, tolerâncias dimensionais, de forma, de orientação e de posição, de cortes e secções bem como de vistas auxiliares e representações especiais das peças utilizadas em máquinas ou outros dispositivos mecânicos. Também adquiriu conceitos sobre rugosidade e de representação do estado das superfícies.

Desenvolveu capacidades de análise conceptual, de interesse pela investigação e de aptidões para o trabalho em grupo. 
Desenvolveu a capacidade de comunicação e de resolução de problemas bem como, a criatividade, o rigor, e o espírito crítico. 
E, deveras importante, deve obter segurança nas capacidades adquiridas.

Adquiriu maior facilidade de adaptação ao trabalho com desenhos, quer em gabinete, quer em locais de planeamento, produção, controlo, montagem, manutenção, reparação ou instalação de equipamentos.

Em resumo, enriqueceu o seu conhecimento, a sua capacidade de estudo, de execução, leitura e interpretação de um desenho técnico.

 

Voltar ao topo
topo


 Página actualizada em 06 de Junho de 2003

Webmaster